As dores nas costas são uma das queixas mais recorrentes entre a população. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, cerca de 80% da população mundial relata esse tipo de problema. Dor nas costas é um sintoma de várias doenças, entre as quais aquelas que afetam a coluna, como a artrose, escoliose, hérnia de disco e lombalgia.

A intensidade da dor deixa muitas pessoas incapacitadas para o trabalho e outras atividades do dia a dia, como o simples ato de caminhar ou ficar em pé. A maioria dos casos é tratada com medicação, fisioterapia e mudança de hábitos. Para situações mais graves, é necessária a realização de cirurgia. Daí a importância do diagnóstico para identificar o problema e tratá-lo ainda na fase inicial.

Artrose na coluna

Artrose na coluna pode ter origem genética ou resultar de outros problemas como traumatismo, excesso de atividades físicas, esforço repetitivo e o desgaste das articulações da coluna. Provoca dores, dormência ou formigamento, e dificulta os movimentos no pescoço, braços (artrose cervical) ou pernas (artrose lombar).

Decorre do desgaste de ossos e cartilagem da coluna vertebral. A doença pode afetar a coluna por completo ou somente uma parte, sendo que, nesse caso, resulta em artrose nas regiões cervical, dorsal e lombar. O tratamento pode ser realizado à base de medicamentos, fisioterapia e repouso. Para casos mais graves, é indicada a realização de cirurgia.

Escoliose

A escoliose é uma deformação da coluna vertebral. A doença pode ser: congênita, quando a má formação da coluna vertebral ocorre durante a gestação; neuromuscular, quando a musculatura do tronco não tem força para suportar essa parte do corpo, causando o encurvamento da coluna vertebral em forma de C; ou idiopática, cujas causas ainda são desconhecidas, embora corresponda a 80% dos casos dessa doença.

A pessoa com escoliose apresenta o corpo mais inclinado para um lado, cintura desigual, quadris e ombros assimétricos, dores musculares e uma das pernas aparenta ser menor que a outra. O diagnóstico preciso e o tratamento fisioterápico são essenciais para evitar a evolução irreversível da escoliose.

Hérnia de disco

A hérnia de disco é uma consequência do desgaste dos discos intervertebrais. A função do disco intervertebral é impedir o atrito e reduzir o impacto entre as vértebras. O desgaste altera o posicionamento do disco e provoca a compressão das raízes nervosas que saem da coluna. As regiões cervical e lombar são as mais afetadas devido aos movimentos e suporte de cargas. A hérnia de disco tem como causas a predisposição genética, o sedentarismo, p tabagismo e o envelhecimento. O hábito de levantar ou carregar objetos pesados também pode resultar no aparecimento de hérnias de disco.

Algumas pessoas com hérnia de disco não apresentam sintomas. Outras podem sentir dores muito fortes. Além da dor na coluna, podem surgir outros sintomas como formigamento e dores nas pernas e braços. O diagnóstico é feito através do exame clínico, mas para saber a extensão do problema e confirmar a região afetada é necessário realizar outros procedimentos como raios-X, ressonância magnética e tomografia.

Lombalgia

Lombalgia é a dor na região lombar. É um problema que atinge cerca de 80% da população mundial e pode estar associado a dores ciáticas, que se espalham para outras partes do corpo como pernas, pés e glúteos. No Brasil, 40% da população queixa-se de lombalgia. Os principais sintomas, além da dor, são queimações, travamentos e muita dificuldade para caminhar ou ficar em pé com o tronco ereto.

Com o envelhecimento, a lombalgia pode tornar-se crônica. Inflamações reumáticas ou nervosas, movimentos bruscos, excesso de peso são algumas das causas da lombalgia. Mas o fator principal é a degeneração dos discos intervertebrais, que pode resultar também em hérnia de disco.

E você? Tem algum desses problemas ou conhece alguém que sofre com eles? Saiba mais sobre escoliose e lombalgia no nosso blog!

4 dicas para evitar dores musculares

como tratar a escoliose com exercício físico